CREA-AM

Atualizado em 23/12/2019 - 12h07

Reportagem aponta que construção deve alavancar a economia 2020

Texto foi publicado na edição desta segunda-feira (23) do jornal Folha de São Paulo.

Reportagem publicada no jornal Folha de São Paulo, nesta segunda-feira (23), aponta que o setor imobiliário brasileiro foi um dos poucos que deram sinais claros de recuperação em 2019. A expectativa é que a construção civil encerrará este ano com crescimento de 2%, o dobro da previsão para a expansão da economia, que gira em torno de 1%.

Especialistas ouvidos pela reportagem estão otimistas. Desde 2013, a construção civil não crescia acima do PIB (Produto Interno Bruto).

Segundo eles, o setor está sendo considerado o motor de crescimento da economia para o próximo ano. A expectativa é que o avanço da construção chegue a 3%. 

Pode parecer pouco, mas o mercado imobiliário está em recessão há seis anos. Atualmente, o setor está 30% abaixo do nível máximo verificado no início de 2014.

Mas o otimismo é justificado com o desempenho crescente neste ano.

Em 2019, o setor imobiliário foi responsável pela geração de 10% dos novos postos de trabalho com carteira assinada do país.

Na quarta-feira (19), o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgou que foram criados 948 mil postos de trabalho com carteira assinada neste ano.

Segundo dados da Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), a construção civil foi responsável pela criação de cerca de 117 mil novos postos de trabalho neste ano, o que corresponde a 13% de todas as vagas geradas em 2019.

Ainda de acordo com os dados do Caged e da Cbic, no mês de novembro o país tinha 39,4 milhões de pessoas com carteira assinada. Desse total, a construção civil foi responsável por 2,09 milhões. O que significa que representa 5,32% do número total de empregados.

“O número pode parecer pequeno, mas precisamos lembrar que isso vem no primeiro momento em que o setor começa a repor suas atividades”, diz Ieda Vasconcelos, economista da Cbic.

A economista destaca que durante os anos de retração quase 1 milhão de postos de trabalho com carteira assinada foram perdidos no setor.

“Em 2019, o setor começa a retomar suas atividades. Claro que é uma recuperação inicial, não é do patamar que foi perdido. Ainda assim, esse incremento de 2% deste ano já foi capaz de fazer essa movimentação no mercado de trabalho. Esse dado sinaliza a importância do setor”, afirma Vasconcelos. 

Texto: Jornal Folha de São Paulo
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

compartilhar: compartilhar no facebook   compartilhar no twitter



Veja mais

21/02/2020
Curso de Orçamento Prático de Obras Civis abre nova turma
21/02/2020
CREA-AM inaugura inspetoria no município de Manicoré
21/02/2020
Projeto ART em 30 Minutos faz sucesso e inspira outros Crea’s pelo Brasil
21/02/2020
Crea-AM participa da 290ª reunião do Conselho de Administração da Suframa
21/02/2020
Instituto de Ensino Superior oferece curso de pós graduação em Segurança do Trabalho e Engenharia Elétrica
21/02/2020
II Congresso Brasil Norte de Engenharia Sanitária e Ambiental abre inscrições para submissão de trabalhos
20/02/2020
CREA´s atendem legislação e suspendem serviços aos técnicos agrícolas
21/02/2020
ART em 30 minutos, Crea-AM inovando e levando mais tecnologia aos profissionais
20/02/2020
OAB-AM realiza o I Seminário Central de Compras Associativa na próxima quinta-feira
20/02/2020
Engenharia Pública desmistifica a matemática e ajuda os mais carentes